quinta-feira, junho 14, 2007

Medo(s)

Vou-os despindo peça a peça
sacudo-os sem pena
deixo-os pelo caminho
desarrumados
atrás de mim
assim
como se não fossem mais precisos
e vou andando
cada vez mais leve
pés no ar
(ah como é bom!)
acreditando
ao perdê-los
um a um
que, lá no chão,
já nem sequer tu, dragão,
depois de despidos
me vestes nenhum.

.


www.vladstudio.com

4 comentários:

Prof. Teresa disse...

extraordinário!! Quando publicas os poemas para gente crescida?

3za disse...

És uma querida... Gostava realmente... talvez um dia... Jinhos

Tit disse...

Já tens duas leitoras garantidas - eu e a prof. teresa!
Força! =)

Bjnhos.

3za disse...

Vou ficar rica!!! :)Obrigada pelo vosso apoio!
Bjinhos