sábado, dezembro 05, 2009

Divisão inteira

Sabes,
não sou só esta
não sou só esta assim
não sou só esta assim como se não houvesse mais nenhuma
Sabes,
aqui dentro
aqui dentro de mim
aqui dentro de mim há mais uma
ou mais
ou menos.
Vírgula.
Reparto-me, parto-me, quebro-me
divido-me,
multiplico-me, adiciono-me
mesmo quando penso ser inteira
o todo, o tudo
como se não ser
fosse um mal
doença grave
espécie de enfermidade decimal.(Terminal?)
Contudo, sabes,
não sei viver sem operações cirúrgicas
precisas
divisões sucessivas

quase infinitas

nunca encontrando coisa irredutível
que me seja igual.

www.vladstudio.com

6 comentários:

Miguel Pinto disse...

hummm... é verdade: (somos) sou mais do que a soma das partes... mas, por vezes, sinto-me menos que essa coisa irredutível...
São estados de alma :)

3za disse...

Às vezes sim... Mas procurando sempre evitá-los... ou, melhor, combatê-los (a esses estados de alma). :)

Nenúfar Cor-de-Rosa disse...

Apetece-me ler vezes sem conta de tão saboroso que é este poema, qualquer dia atrevo-me a levá-lo lá para o meu canto (com a tua permissão e referência, é claro)...gostei tanto!!

3za disse...

:) Obrigada... Lve-o para onde quiseres... eles gostam de viajar!

Fê-blue bird disse...

Estou simplesmente maravilhada...e ainda agora comecei..."levei" o sabor da sua palavra para o meu blogue
http://i--love--cats.blogspot.com/
espero que não se importe.
Vou segui-la com muita atenção.
Beijinhos

3za disse...

Claro que não me importo e agradeço a distinção e carinho das palavras. Temos em comum, também, o amor pelos gatinhos. Recolhi três adultos da rua que, juntamente com a minha cadelinha Peggy, são uma companhia especial (não estou a contar com a minha negrinha que recolhi grávida, tomando conta dela e dos 6 meninos até lhes arranjar dono. Fiquei com ela mas morreu com cancro...
Enfim... O amor pela poesia e pelos animais funde-se sem fronteiras... :)

Beijinhos