domingo, abril 26, 2009

Tempero de sonho


Gosto da ausência de ti
na refeição da vida
da sede
da fome
que o tempo acrescenta
depois da partida.

Ter-te ausente

é dar-te a mão com outro eu
que sabe navegar
invisível mar
sem precisar de caravela
entre planeta e estrela.

Amargo seria
não existires,
nem longe, nem distante

e nem por um instante
arrumar as letras saudade
nesse fio, colar de contas
espécie de rio
e pô-lo ao peito.

Solidão é só

não ter sonhos
com cheiro a canela
açúcar queimado
para polvilhar
o caminho
arroz-doce
leite-creme
prato cheio
azul

infinito
do céu de cada dia.



www.vladstudio.com

4 comentários:

izzie disse...

Inspirador... como só tu sabes!
É um prazer ler-te :)

Beijinho,

3za disse...

:) Obrigada pelo mimo...

Joao P. disse...

Que bonito Teresa:

Fazer linda uma ausência!

Parabéns

João P.

3za disse...

:) ..... Obrigada pelas tuas palavras...