domingo, dezembro 16, 2007

Lado a lado...


Se eu fosse um elefante
um elefante quadrado
não ficaria contente
não me seria indiferente
poder ser arrumado
devidamente encaixado
no geométrico fado.

Se eu fosse um elefante
um elefante quadrado
tentaria a qualquer custo
ser depressa arredondado
ao menos em três das linhas
deixava uma, deixava
para poder aninhar-me
colar-me sem ter vazios
me encostar a(o) teu lado.


4 comentários:

Miguel Pinto disse...

Vejo aqui o drama da educação deste tempo: a formatação dos elefantes quadrados não lhes permite saber onde e a quem se encostar :(

Bonito, 3za :)

3za disse...

Pois... :(

por isso a urgência de arredondar, lutar contra a formatação... no máximo, no máximo, uma linhazita para encurtar as distâncias que não desejamos àqueles que são importantes no nosso caminho... :) (porque um bocadinho de nós precisa sempre de se encostar a alguém e assim crescer mais acompanhado...)
Assim como está é que não.

Anónimo disse...

Venho só desejar Bom Ano e pedir licença para "levar" este poema, para iniciarmos em beleza o projecto "A Arte e a Matemática..."
Vou passando por aqui e percorrendo outros fios desta teia.
Bem haja pela partilha dos sonhos, dos desencantos e dos saberes.
Eu de vez em quando estou em Olhares.com (filomena galego)

3za disse...

Toda a licença (com um sorriso)... e mais um beijinho e também votos de um Ano Novo mais iluminado!
(Fotos lindas em Olhares... as flores... ai as flores..... :)