domingo, fevereiro 07, 2010

As coisas...

Gosto de imaginar as coisas
exactamente como elas são
quando me ponho a olhar para elas
dentro de mim.

Dentro de mim
as coisas que vejo
não precisam de ser ainda mais imaginadas
porque já lá estão bem arrumadas
exactamente precisamente assim.

Exactamente precisamente assim
com as cores que devem ter
e as formas certas e perfeitas
porque as pessoas dentro de si
só deviam desenhar, e com cuidado,
as coisas que as põem satisfeitas

As coisas que as põem satisfeitas
são as coisas exactamente como elas são
quando as esculpimos sem olhar para fora
num lugar escondido do mundo, que mora
nas janelas da nossa cabeça
e nada tem a ver com o coração
(onde só acontece, enquanto respiramos, circulação...)


3 comentários:

Miguel Pinto disse...

:)

Fê-blue bird disse...

Exactamente assim, perfeito e arrumado dentro do peito!
Fico sempre à espera dos seus poemas, nunca me decepcionam, este então prima pela originalidade e perfeição!

Um beijo!

3za disse...

Obrigada... :)
Beijo