sexta-feira, fevereiro 13, 2009

Subtil evidência

Em sonhos cor-de-rosa azuis imaginamos
que o tempo tem mais tempo do que tem
que as mãos têm mais dedos do que cem
que a música toca sempre a toda a hora
que nunca ninguém parte ou vai embora
que as flores não deixam de ser regadas
que as mãos estão sempre entrelaçadas

e às vezes a seguir quando acordamos
é tudo quase exactamente igual ao que sonhamos
com mais chuva
menos flores
e a subtil evidência
de um nós tecido
sem mãos
sem fios
na ausência.



2 comentários:

izzie disse...

Adoro quando captas a essência fugidia do tempo, da vida...

Já tinha saudades!
***

3za disse...

:)
***