domingo, janeiro 18, 2009

Devagar

Corre devagar que o tempo precisa de ser precisamente quase caracol para ser completamente nosso e se conseguir desvendar para ver nitidamente as coisas da janela sem chegar depois uma saudade sem regresso possível que esteja ali à mão de semear porque é devagar que o gelado se aquece na boca devagar que o amor se vagueia devagar que o saber se ilumina devagar que a vida se passeia sem pressa mão furtiva dada beijo imaginado roubado elevador para a lua sonhos que se inventam princesas sempre belas cavaleiros calmamente andantes perto delas porque devagar é assim palavra mágica para longe e melhor e mais saboroso diz quem não se engana quase nunca e eu digo também que devagar é arte de navegar cada grão de açúcar no ponto adequado devagar bem devagar paciência até morar para sempre caminhando levemente na estrada de um ponto de pérola e de rebuçado.




2 comentários:

Anónimo disse...

Muito lindo.
Obrigada por mais este presente.
=)
Abraço.

Ludimila

3za disse...

:) Abraço